Conchal e outras cidades de SP terão réveillon sem barulho

Conchal, Campos do Jordão e Ubatuba dão exemplo e organizam shows pirotécnicos silenciosos, em respeito a crianças, idosos e animais.

É o sonho de todo tutor: uma cidade onde fogos de artifício e rojões sejam proibidos. Quem vai passar o réveillon com o melhor amigo em Conchal terá a experiência de assistir a um belo espetáculo pirotécnico, sem o barulho típico, que tanto assusta os animais. Pela primeira vez, a virada na cidade será com fogos silenciosos. O show de luzes não vai agredir os ouvidos de ninguém. Nas cidades paulistas de Ubatuba, Campos do Jordao, São Vicente e Peruíbe, a queima também será silenciosa.

A novidade em Conchal atende à Lei Municipal sancionada neste ano, que proíbe a queima de fogos com estampidos na cidade.  A medida vale também para particulares.  O não cumprimento da Lei acarretará multa que varia de R$ R$1.253,50 até R$ 2.507,00. De acordo com a prefeitura, o objetivo da lei é respeitar crianças, idosos e evitar danos aos animais, sensíveis aos ruídos causados pelos fogos de artifício tradicionais. Os danos por conta do barulho atingem tanto animais domésticos quanto os silvestres. Os pássaros, por exemplo, estão entre os mais afetados.

Os ouvidos dos animais são extremamente mais sensíveis. Os cães percebem sons com frequência de até 40.000 Hz — o homem, por exemplo, somente até 20.000 Hz. Também detectam sons quatro vezes mais distantes que os humanos.

Veja as dicas do especialista em comportamento animal e zootecnista Renato Zanetti para tentar amenizar o sofrimento dos pets que têm medo de fogos:

1. Fique em um lugar tranquilo, com o mínimo de barulho possível para que o pet não fique estressado e consequente sinta medo ou pânico;

2. Abafe o som externo. Deixe o ventilador ligado, coloque uma música calma, feche janelas e portas;

3. Adapte o cachorro ao ambiente que irá passar o ano novo, seja em casa sozinho ou em um day care;

4. O espaço tem que ser seguro para o cachorro. Todos os possíveis locais que eles possam escapar, devem estar fechados, como portas e janelas;
5. É importante disponibilizar tocas para ele se esconder, locais como embaixo da cama, dentro de caixas, dentro do banheiro, dentro da casinha ou uma caixa de transporte;

6. Disponibilize petiscos diferentes ou comidas congeladas e brinquedos recheáveis para distraí-lo e estimulá-lo;

7. Se o pet ficar sozinho, o espaço deve ser livre de prateleiras, vidros, objetos de decoração ou porta retrato. Isso evita que ele se machuque.

Fonte: Paloma Oliveto/Correio Braziliense