Estresse, a mola propulsora do nosso dia a dia!

Saúde, atividade física e qualidade de vida

por Tadeu Caleffi *

O estresses, que costuma ser visto como grande vilão de nossas vidas, nada mais é que a pressão imposta a cada um de nós no dia-a-dia. Em si, ele é altamente positivo, é a mola que nos impele a fazer o que é necessário. O grande problema é quando esse estresse se torna crônico, aí ele se torna nosso pior inimigo, um vilão capaz de minar a saúde.

A sociedade perdeu o sentido do ser, vivemos em pânico, no meio do caos, querendo ganhar cada vez mais, trabalhar cada vez mais e produzir cada vez mais. Tudo esta voltado para o consumo e o ser humano acaba se consumindo nessa história. Resultado: o homem vive estressado, e uma pessoa estressada tem as portas escancaradas pra todo o tipo de doença.

Trabalhar não faz mal, trabalhar muito não faz mal, trabalhar demais também não faz mal, o que não pode é trabalhar indefinidamente, de forma sempre continua. É o exemplo do elástico, você pode esticá-lo, mas tem de afrouxá-lo para que possa esticá-lo novamente. Se esticá-lo indefinidamente, depois de certo tempo ele se romperá e aí não tem mais jeito! Muito trabalho não faz mal, desde que possa ser entrecortado por momentos de descanso, por períodos de lazer. E para que quando envolvido no trabalho, a produção seja aumentada e você não corra riscos. Veja o exemplo do coração: ele trabalha e relaxa o tempo todo, o coração é uma filosofia de vida que ninguém percebeu. Pode contrair 3 milhões e 500 mil vezes, mas relaxará outros 3 milhões e 500 mil vezes.

Percebendo que necessita botar o pé na estrada, por o corpo em movimento, o homem vai em direção a saúde, procurando alimentar-se direito, dormir adequadamente, pois o corpo não é uma maquina e precisa de descanso.

O homem tem o livre-arbítrio, o poder de escolha. E o melhor é que ninguém pode fazer isso por você. Se é assim, escolha o melhor para a sua vida; afinal, ela é única e nunca vai se repetir.

É isso aí, até a próxima.

* o autor é profissional de Educação Física e professor na Academia Diferencial.